O autocarro espacial, SpatioBus, um veículo itinerante equipado para realizar ações educativas centradas em aplicações e tecnologias espaciais, está em Moimenta da Beira, no Agrupamento de Escolas, durante três dias.

Hoje, quarta-feira, estacionou na EB1, amanhã vai estar na EB2, e na sexta na EB3/Secundária.

No Spatiobus há monitores auxiliados por profissionais dos centros Ciência Viva ou por Professores EspAciais, docentes com forte ligação às temáticas do espaço através da Ciência Viva, entre os quais Paulo Sanches, professor de Física e Química na Secundária de Moimenta da Beira, fundador do Clube das Ciências e um divulgador da cultura científica e tecnológica na região.

Os alunos do 4º ao 7º anos vão ter a oportunidade de aprender o que são satélites, como funcionam e para que são usados. De acordo com a Portugal Space, os estudantes poderão até aprender a fazer o seu próprio satélite e descobrir quais as melhores órbitas de acordo com a missão que desenharam. Outra das possibilidades “é a construção de uma base em Marte e, com isso, aprender as diferenças entre a pressão atmosférica na Terra e em Marte, testando líquidos e sólidos com diferentes pressões. As atividades do Spatiobus incluem ainda experiências ligadas à Observação da Terra, com os alunos a aprenderem sobre o funcionamento dos oceanos e a subida do nível do mar”.

O diretor da Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space, Hugo André Costa, afirmou que “trazer o Spatiobus para Portugal durante três semanas é, em primeiro lugar, a materialização do acordo de entendimento assinado entre o CNES e a Agência Espacial Portuguesa em 2019; em segundo lugar, é uma excelente oportunidade para a Portugal Space porque nos permite reforçar as atividades educativas na área do espaço em cidades do interior do País, e, ao mesmo tempo também reforçar os nossos laços com a Ciência Viva sem a qual esta atividade não teria o mesmo impacto junto dos mais jovens”.

Já Marta Gonçalves, responsável pelos programas de educação da Agência Espacial Portuguesa, lembra que a aposta na educação científica de crianças e jovens é um dos eixos centrais da estratégia da Agência Espacial Portuguesa.

Paulo Sanches, o elo de ligação em Moimenta da Beira, “espera que esta atividade leve os nossos alunos a usufruírem de uma apaixonante experiência espacial e que aproveitem bem esta oportunidade que dificilmente se repete”.

Esta é uma iniciativa da Agência Espacial Portuguesa, Portugal Space e do CNES, com o apoio do Pavilhão do Conhecimento – Centro Ciência Viva, que acontece no âmbito da Temporada Portugal-França 2022.

Esta e outras notícias para ouvir na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.

PubAuchan