No Museu Municipal de Oliveira de Frades está patente até dia 01 de junho uma exposição sobre “Como a BD nos conta o Holocausto”, do Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu (GICAV).

“Esta exposição pretende ser um contributo para a temática do Holocausto, através de uma arte tão nobre como a Banda Desenhada” (BD), pode ler-se na nota de imprensa do Museu.

A mostra conta com trabalhos de nomes como Pascal Croci, Joe Kubert, Michel Kichka ou Art Spiegelman, mas também de Reinhard Kleist ou mesmo ‘O Diário de Anne Frank’, de Ari Folman e David Polonsky.

Em Portugal, “o artista José Ruy ajuda a perceber o lado generoso e tolerante de Aristides de Sousa Mendes, o herói português do Holocausto, Cônsul em Bordéus, que também foi retratado numa vertente mais humorística por Artur Correia”.

“Nem os Simpsons escaparam a ser transformados em prisioneiros judeus nos campos de concentração pelo artista italiano Alesandro Palombo. Através da BD pode-se educar as novas gerações sobre o Holocausto, sem suavizar a loucura do extermínio e prevenir a propagação do antissemitismo”, acrescenta.

Esta e outras notícias para ouvir na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

PubAuchan