O Centro Hospitalar Tondela-Viseu integra o Desafio Gulbenkian “STOP Infeção Hospitalar 2.0”, que tem por objetivo reduzir para metade o número de infeções hospitalares num período de três anos.

O projeto será desenvolvido nas duas unidades que integram o centro, casos do Hospital de São Teotónio, em Viseu, e do Hospital Cândido Figueiredo, em Tondela.

O projeto STOP Infeção Hospitalar é uma iniciativa do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistências aos Antimicrobianos da DGS (PPCIRA), em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian e aposta na redução da taxa de infeções adquiridas em meio hospitalar em mais 12 unidades hospitalares do Serviço Nacional de Saúde.

É feita uma avaliação regular dos resultados de cada hospital, sendo monitorizado todo o processo de redução da mortalidade associada às infeções hospitalares e do tempo de internamento deste tipo de doentes, bem como a análise do ganho económico com a redução de custos associada à diminuição de taxas de infeção.

A primeira edição do Desafio decorreu entre 2015 e 2018 e incidia sobre quatro tipologias de infeções hospitalares: a associada à algaliação; a relacionada com o cateter vascular central; a proveniente da intubação; e a associada à ferida operatória.

Os resultados alcançados foram positivos e o projeto evoluiu para a versão 2.0 integrando novas unidades, entre as quais a das que integram o centro Hospitalar Tondela-Viseu.

Esta e outras notícias para ouvir na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

PubAuchan