A Câmara de Viseu aprovou novas regras para os apoios à cultura, e o objetivo, segundo a autarquia, é “tornar mais eficaz a ajuda a promotores de eventos que têm marcado o calendário cultural dos últimos dez anos e artistas emergentes”.

O programa muda também de nome e abandona a designação Viseu Cultura, que teve durante os mandatos de Almeida Henriques, e passa agora a chamar-se Eixo Cultura – Viseu 2022/2025.

A vereadora da Cultura na autarquia de Viseu, Leonor Barata, adianta ainda que o programa foi reformulado para tornar o modelo mais eficaz para as instituições e para os artistas.

Para este ano de 2022, tem uma dotação financeira de 1.230.000 euros, distribuídos por seis eixos culturais: parcerias de programação, criação artística, programação artística, emergentes, atividades com apoio anual e Teatro Viriato.

Ainda segundo a vereadora, haverá novidades com os chamados “eventos âncora” que “definem a agenda cultural” de Viseu e levam a maior fatia do programa, ou seja, 350 mil euros, e que serão aprovados por períodos de dois ou quatro anos, dispensando um processo de candidatura anual, explicou Leonor Barata, adiantando que, desta forma, será dada mais estabilidade aos promotores desses eventos.

Outra das novidades está relacionada com o Teatro Viriato, gerido pelo Centro de Artes do Espetáculo de Viseu (CAEV) que receberá 380 mil euros, com um reforço de 50 mil euros para que possa vir a integrar a Rede de Teatros e Cineteatros.

Para o apoio às atividades culturais nas freguesias, e outras atividades, haverá este ano uma verba de 240 mil euros.

Esta e outras notícias para ouvir na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.

PubAuchan