Hélio Marta

No fim de semana da Pascoa Portugal foi um dos piores países do mundo para se viver. Jeff Bezos esteve de férias no nosso país. Isto constituiu um gigantesco problema económico e social. Tendo por isso a vida dos portugueses piorado de forma substancial, apenas porque o multimilionário americano decidiu passar férias no nosso país. Não acreditam? Então sigam o raciocino.

Jeff Bezos tem uma fortuna pessoal de cerca de 170 mil milhões de dólares ao passo que o PIB português é de cerca de 230 mil milhões de dólares. Isto mostra que durante o fim de semana, entre todas as pessoas que estavam em território português, apenas uma tinha o equivalente a 70% do PIB. Ou seja, durante a estadia do dono da Amazon em Portugal, a nossa vida piorou de forma substancial por causa do aumento da desigualdade social. Ou isto é verdade, ou a esquerda anda-nos a mentir à cerca da verdadeira origem dos problemas sociais do nosso país.

Quer a extrema direita quer a extrema esquerda, usam o ódio e a inveja para com as minorias com o objetivo de arregimentar o eleitorado em volta das suas ideias sinistras. O CHEGA tenta de forma sistemática fazer-nos querer que os problemas de Portugal têm origem nos ciganos, nos refugiados de I Phone, etc. Já o PCP , BE e uma parque significativa do PS, tentam fazer-nos pensar que a culpa dos nossos problemas é dos ricos. Se não fossem os ricos, essa minoria odiosa e indesejável, Portugal seria um jardim à beira mar plantado e não este inferno capitalista.

Perante este ódio declaro às minorias, o que distingue a extrema direita de extrema esquerda? Na realidade nada os distingue, a não ser o facto da sociedade estar mais disponível para odiar os ricos do que os pobres. Ficamos indignados (e bem )quando ouvimos dizer que os ciganos são todos criminosos, mas deixamos passar impune o discurso que diz que as empresas e os empresários são um bando de malfeitores. Se instigar o ódio para com os ciganos origina desigualdades sociais, instigar o ódio para com empresários e investidores tem o mesmo efeito.

Na Alemanha nazi uma das armas de propaganda do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, consistia em instigar o ódio para com os judeus. Isto aconteceu porque para além de serem uma minoria, os judeus eram grandes detentores de capital e tinham uma forte influência na economia alemã. Se nos lembramos que a Solução Final incluiu também os ciganos e outras raças consideradas pelos nazis como inferiores. Fica provado que o nazismo conseguiu fazer a síntese entre o radicalismo de direita e de esquerda. Odiavam simultaneamente os detentores de capital e os ciganos. Não é por acaso que a extrema esquerda e a extrema direita têm ainda hoje um problema com os judeus.

Se tivermos em conta que em Portugal o salário médio é de cerca de 1300€, isto significa que a maior parte dos comentadores televisivos, que fazem da desigualdade social a origem dos nossos problemas, ganham muito mais do que o salário médio. Perante esta realidade, era importante saber se eles estão disponíveis para abdicarem de toda a remuneração que auferem acima dos 1300€, para pôr fim à desigualdade social. Isto prova que os intelectuais de esquerda, são pessoas ricas, que convenceram os pobres, que a culpa de eles serem pobres é de outras pessoas ricas.

Por via da estagnação económica das últimas décadas, o elevador social português tem funcionado cada vez pior. No tempo em que a economia portuguesa crescia a bom ritmo, foi possível a muitas famílias carenciadas fazerem dos seus filhos pessoas muito bem sucedidas. Hoje com o elevador social avariado por décadas de socialismo, as nossas escolas são fabricas de emigrantes. Nenhum país conseguiu combater a desigualdade social dando cabo da vida dos detentores de capital. Pelo contrário, todos os países que de alguma forma conseguiram melhorar a vida dos seus cidadãos, fizeram-no criando confiança em quem tem capacidade de investir. Foi assim que se criou mais emprego e empresas mais competitivas, que puderam pagar melhores salários. Uma das dificuldades em criar uma sociedade com uma boa literacia financeira, está no facto da economia ser uma área do conhecimento muito contra intuitiva. É muito fácil passar a ideia de que se acabarmos com os ricos, distribuindo toda a sua riqueza, iremos também acabar com a existência de pobres. A realidade tem-nos mostrado exatamente o oposto. Se Portugal conseguisse que o sr. Jeff Bezos viesse para cá morar e investir toda a sua fortuna, a desigualdade social aumentaria seguramente, mas os recém licenciados em engenharia aeroespacial, entre muitos outros, não tinham motivos para emigrar. O problema é mesmo este, para os extremos quanto pior melhor.”

Artigo de Hélio Marta – militante da Iniciativa Liberal (IL) de Viseu

PubAuchan