Mais de três quartos das vendas de 117 milhões de euros da Vista Alegre, do Grupo Visabeira, em 2021 foram registadas nos mercados externos, com destaque para Espanha, EUA e Brasil, informou hoje a empresa.

“O Grupo Vista Alegre atingiu um volume de negócios a dezembro de 2021 de 117 milhões de euros e um EBITDA [resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações] de 22,7 milhões de euros. O mercado externo representou 75,1% do volume de negócios da Vista Alegre, com 87,8 milhões de euros de vendas”, lê-se no relatório e contas enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo destaca, “os produtos de marca, nomeadamente nos segmentos de porcelana da Vista Alegre e de faiança da Bordallo Pinheiro, foram os que serviram de catalisador para o crescimento do volume de negócios de 2021”.

A nível internacional, a empresa aponta os mercados de Espanha, EUA e Brasil como “os maiores contribuidores para as vendas de produtos de marca”, com um crescimento de 69% face a 2020 e um crescimento de 50% face a 2019 (pré-pandemia).

Excluindo a hotelaria, o volume de negócios gerado pela venda dos produtos de marca, considerando o retalho físico e ‘online’, a nível nacional e internacional, cresceu 36,7% face a 2020 e 11% face a 2019 (pré-pandemia).

No documento, o grupo – que é constituído por 18 empresas e opera nas áreas de negócio da porcelana, faiança, grés e cristal e vidro manual – refere que, “apesar do severo confinamento que marcou o primeiro semestre do ano, com as lojas da marca encerradas em grande parte deste período, os resultados consolidados do ano 2021 do Grupo Vista Alegre revelaram um excelente desempenho, muito acima do verificado no período homólogo”.

Assim, o grupo encerrou 2021 com um lucro de 1,6 milhões de euros, recuperando do prejuízo de 2,5 milhões registado em 2020, e obteve um resultado operacional positivo de 9,3 milhões de euros, face aos 2,5 milhões de 2020, e um EBITDA de 22,7 milhões de euros, uma melhoria de 42% face aos 16 milhões do mesmo período de 2020.

Já a margem EBITDA fixou-se nos 19,4%, 4,9 pontos percentuais acima dos 14,5% do ano anterior.

As receitas da porcelana atingiram os 42,5 milhões de euros, o que representa um crescimento de 42,7% face ao ano anterior, e as receitas da faiança ascenderam a 12,4 milhões de euros, representando um crescimento de 53,2% face ao ano de 2020.

No exercício de 2021, os investimentos realizados pelo grupo ascenderam a cerca de 7,2 milhões de euros, nomeadamente na aquisição de equipamentos no segmento da porcelana, cristal e vidro e forno, tendo como objetivo “uma maior eficiência operacional e a redução de custos, reforçando o posicionamento da Vista Alegre como detentora das fábricas tecnologicamente mais avançadas do mundo nos segmentos de mercado de cerâmica, cristal e vidro”, referem.

A Vista Alegre é atualmente detida em 82,29% pela Visabeira Indústria, do grupo viseense Visabeira, e detém seis unidades produtivas em Portugal, três situadas em Ílhavo, uma nas Caldas da Rainha, uma em Alcobaça e uma no Sátão (Viseu).

Esta e outras notícias para ouvir na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.

PubAuchan